terça-feira, 13 de novembro de 2007

Lagoa de Pampulha

Domingo
Podem-me chamar de louca… eu sei que sou. Nunca tinha andado tanto na minha vida! Mas o que se passou nesta cabecinha? O mesmo de sempre… aquele pensamento “eu gosto de caminhar, eu consigo…”. Sim, decidi ir percorrer todo o calçadão em volta da lagoa de Pampulha. Um calçadão que tem apenas 18km!!! Eu pensei que caminhar em volta de uma lagoa é sempre agradável. O começo foi bem. Cheguei mesmo a tempo de ver começar a maratona pela diabetes (hoje era o dia mundial da Diabetes). Foi giro ver o pessoal a correr, havia música na rua, estava animado. Em redor da lagoa há vários pontos turísticos. Passei pelo clube de ténis mais famoso da cidade (também o mais caro, por sinal), pela igreja de São Francisco de Assis, conhecida pela sua arquitectura incomum e claro, pela beleza natural da própria lagoa. Tirei um monte de fotos. Ao km 10 (até parece uma noticia sobre ciclismo) os pés davam já sinais de cansaço mas estava a chegar ao parque natural da Pampulha, uma zona verde enorme, onde há locais bem definidos para jogar à bola, lançar papagaios, fazer piqueniques, trilhos para andar de bicicleta… lindo! E claro os animais, maioritariamente aves, mas também uns bichos castanhos tipo hipopótamos pequenos, que se chamam capivara. O máximo. O pior foi que pensei que no final do parque havia conecção para o calçadão da lagoa, mas não… ou seja, andei 1km lá dentro, e mais um para voltar ao calçadão. Desanimador. Com a ajuda de águas de coco e abacaxi (eles vendem na rua só o miolo bem fresco, imaginam como é para uma pessoa que adora essa fruta), lá fui andando e dando palavras de encorajamento a mim própria até porque voltar para trás era já a mesma distância. O calçadão tem zonas com mais pessoas e outras mais desertas. Aos domingos os brasileiros têm o hábito saudável de caminhar ou correr por ali ou outras zonas verdes. No entanto nas zonas com menos habitações vêm-se poucas pessoas o que torna o percurso mais duro. Num bom pedaço do trajecto a lagoa deixa de se ver e parece que caminhamos para a cidade mais próxima. Foi nessa parte que pensei chamar um táxi, apanhar um autocarro, mas que chegava de maluqueiras, pois o cansaço dos pés já tinha passado a dores. Não vi nem uma coisa nem outra, por isso fui andando. Parei um pedaço, mais uma água de coco, mais umas fotos e de volta ao caminho! O problema do percurso é que tem muitos braços compridos e estreitos. Vemos facilmente o outro lado mas para lá chegarmos é preciso fazer a volta toda lá ao fundo. Num desses braços, a lagoa é mais baixa e como esta região passou por um período de seca consegui atalhar 1km! Ufa! Mais umas paragens, novas coisas para ver, como o jardim zoológico (que não entrei), museu de artes, repuxo, mais um mirante e a casa do baile e pronto… percorri os km que me faltavam! Quando cheguei ao inicio da rua que sobe até ao mineirão nem acreditava… nem acreditava que tinha feito o perímetro todo… nem acreditava que ainda tinha que subir aquela avenida toda até chegar ao meu canto!!! Mas lá subi, havia jogo no mineirão, estava a festa instalada. Cheguei à pousada, comi qualquer coisa e fui-me esticar ao sol o resto do dia a ler!!! Há lá melhor vida que esta! Demorei 6h a fazer os 20km (sim 20, com o que andei no parque e até casa). Acho que também é bom conhecermos os nossos limites. Se algum dia precisar fugir para algum lado já sei do que sou capaz!

6 comentários:

Anabela disse...

Fazer um comentário a todas estas aventuras era um nunca mais acabar de escrever. No entanto... não desanimes e aventura-te...com certezas...!

Anabela disse...

Fazer um comentário a todas estas aventuras era um nunca mais acabar de escrever. No entanto... não desanimes e aventura-te!

Georges disse...

Deverias ter expermentado primeiro de bicicleta... quem é de BH já sabe desse "segredo"!

Raphael disse...

Ai,eu tenho que tirar o chapéu para voçê..
Você é uma pessoa guerreira e bastante animada..
Quando resolvi fazer essa loucura nao dei conta de concluí-la e fiz poucos quilômetros,na verdade,nem eu sei quantos quilometros andei,sei que meu pé deu calos,mais foi bastante legal.
Recuei para onde eu estava..
Quando cheguei nao queria mais andar..

Pedro disse...

Ola, eu tambem cometi a mesma loucura, do mesmo jeito. Eu estava de passagem em BH, hospedado proximo a lagoa e resolvi conhece-la. Então comecei a percorrer o circuito sem saber da distancia real. Quando vi o tamanho do percurso tb não compensava voltar. Comecei as 19:00hs e terminei as 23:45hs. Nunca mais. rs...rs...

Sara disse...

É, não é facil fazer essa volta a pé, principalmente não estando preparado... Depois disso eu dei a volta de bicicleta e agora eu dou correndo. Muito melhor ;)