quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Vai um choppinho?

Terça feira estava eu no auge das minhas medidas aqui no super aparelho quando a luz vai abaixo. Eh pá que cena, logo hoje que eu comecei. O pessoal juntou-se todo no corredor, incluindo o de outros laboratórios e começou a correr o rumor que iamos beber cerveja. Mas eram 3h da tarde e as vozes responsáveis disseram que a luz ia voltar. Pois... 1h depois a luz volta e foi uma trabalheira para deixar a máquina a funcionar outra vez. Depois de muitas gotas de suor (coisa impossivel numa sala que esta sempre abaixo dos 20ºC), estava quase quase tudo pronto quando... a luz vai outra vez em baixo. E a mesma voz responsável, que é o rapaz que dá assistencia, diz "ah azar, vamos mas é beber cerveja". E pimba, junta-se a galera toda em menos de um piscar de olhos, que para estas coisas já ninguém se atrasa e vai tudo para o boteco (tasca/restaurante se bem que boteco é atribuido a bar). O esquema é diferente do português. Na mesa são postas garrafas de 600ml e é dado um copo para cada um. Não cheguei a ver o fundo ao copo, pois há sempre alguém que vai reforçando a dose. Comemos pasteis, mandioca assada com linguiça e muito muito choppinho. Anoiteceu e o pessoal sempre na conversa. Chegamos 5 e no final eramos 20, mesmo com entradas e saídas de outros. Era o departamento de física em peso. Chegou a hora de fechar o restaurante e tivemos que sair. Hora de pagar... 10 reais! O quê? Bebo cerveja a tarde inteira, como e pago 10 reais? Tipo 3 euros? Muito bem, amanha á mesma hora? A propósito de horas... que horas são? Devem ser aí umas 10h da noite não? Não... era 1h da manha!!!! Os resistentes, eu e mais 3, tentamos encontrar um barzinho aberto para continuar a noite, acabamos a jogar snooker. Fomos ainda até ao mirante de mangabeiras e tenho pena de não ter levado câmara para tirar fotos. O cenário à noite ainda impressiona mais! Fantástico!!!!
Quando fui para casa o céu já estava a clarear e eram 6h! Às 8h estava a pé para tomar o pequeno almoço e ir trabalhar. Quando cheguei fiquei no corredor à espera que alguém me abrisse a porta. Todos os que passavam, professores ou doutorados me diziam bom dia! Alguns nem me lembrava deles. Já para não falar que agora conheço muito melhor o grupo com quem trabalho, que são todos uns porreiraços. Decididamente, estava a faltar uma noite de cerveja para começar a conhecer e a ser conhecida!

2 comentários:

Alex disse...

Olá Sara!!!Grandes aventuras, essas aí no Brasil! Vejo k estás a aproveitar ao máximo...que inveja!!ehehe:).
Adorava conhecer o Brasil principalmente a cidade maravilhosa.
O k eu não dava para provar os sumos de fruta natural de que tu tanto falas...mas ainda não perdi a esperança!
Já estive no blog do Bruno e não podia de deixar de visitar o teu.
Gostei muito!
Bjinhos para ti e continuação de uma boa estadia. (já agora com mais aventuras)
Alexandra

Lee disse...

Isso tudo só porque a luz veio a baixo?! Loucura!! também quero apagões desses!